Publicado em 13 de setembro de 2018 às 11:16

Em encontro com Odilon, presidente da Fiems reforça pauta única de propostas do setor produtivo

“Um governador não tem condições de desenvolver Mato Grosso do Sul sozinho, por isso, vou contar com o apoio e sugestões da classe empresarial de todos os setores, que são os verdadeiros especialistas conhecem como ninguém as particularidades e necessidades do estado, para me auxiliar na elaboração de medidas que possam nos levar ao crescimento”. Esse foi o retorno do candidato a governador pelo PDT, juiz federal aposentado Odilon de Oliveira, às propostas do setor produtivo apresentadas na noite de ontem (12/09), na sede da Famasul, em Campo Grande (MS), para alavancar a indústria, comércio, turismo, serviços e agropecuária local.

O juiz federal aposentado foi o 2º candidato a reunir-se com representantes da Fiems, Famasul, Fecomércio/MS, Faems e Sebrae/MS para conhecer as propostas do setor produtivo do Estado para o próximo governador, enquanto o 1º foi Reinaldo Azambuja (PSDB), que concorre à reeleição, e o próximo será o candidato Junior Mochi (MDB). Nessas reuniões, as entidades entregam o caderno de medidas de curto e longo prazo para serem implantadas pelo próximo governante e que foram pensadas em conjunto para o desenvolvimento da economia estadual.

O foco do caderno de medidas é a austeridade fiscal. “O momento requer uma política de austeridade. Mato Grosso do Sul não enfrenta um déficit como em outros estados, porém, as despesas de custeio e com pessoal estão elevadas e, por isso, não sobra recursos para outros investimentos prioritários para alavancar a economia e gerar mais postos de trabalho e renda para a população”, afirmou o presidente da Fiems, Sérgio Longen, que falou em nome do setor produtivo, completando que a redução de gastos passaria por um equilíbrio fiscal da Previdência e das despesas.

Sérgio Longen afirma que os setores estão alinhados e, desta forma, foi possível elaborar uma pauta única, cujo foco é a austeridade fiscal. “Esperamos que os candidatos ao governo sejam sensíveis às proposições e estejam dispostos a incluí-las em seus planos de governo, demonstrando que estão comprometidos com uma política de desenvolvimento sólida e expansiva”, afirmou.

Outras reivindicações

Além das sugestões apresentadas em conjunto pelas entidades, cada federação apresentou medidas em separado para o candidato, voltadas especificamente para cada atividade. Anfitrião do evento, o presidente da Famasul, Maurício Saito, defendeu uma política sustentável de incentivos para o Pantanal. “É preciso manter a produção do nosso estado de forma sustentável, por isso, esperamos que o futuro governador tenha um olhar diferenciado para manter o equilíbrio entre a atividade agropecuária, a questão ambiental, e social”, disse.

Também citando o Pantanal, o presidente da Faems, Alfredo Zamlutti, lembrou que esta é a primeira vez Odilon de Oliveira disputa uma eleição. “Por ser ‘o novo’, esperamos que uma série de coisas sejam diferentes, com menos intervenção do Estado, mais incentivos para os empresários e elaboração de uma política séria que gere melhor aproveitamento do potencial do Pantanal”, declarou.

O documento da Fecomércio/MS, apresentado pelo presidente Edison Araújo, contém uma série de propostas para melhorar a logística do estado e reduzir as despesas dos comerciantes. “Acreditamos que se o nosso próximo governador estiver comprometido com estas propostas, o comércio e setor de serviços do nosso estado será alavancado de maneira que terão condições de investir mais, contratar mais pessoas, e é justamente isso que a nossa população espera”, afirmou Edison Araújo.

O Sebrae/MS e Faems propuseram para as empresas do Estado, entre outras medidas, a expansão da RedeSimples para os 79 municípios, além de mais investimentos em inovação e tecnologia voltada para os pequenos negócios. “As compras governamentais, por exemplo, precisam incluir mais a pequena empresa, conforme previsto na lei. Isso fomenta negócios no interior e gera emprego”, acrescentou o superintendente do Sebrae/MS, Cláudio Mendonça.

Leia mais no site www.fiems.com.br ou pelo link http://www.fiems.com.br/noticias/em-encontro-com-odilon-presidente-da-fiems-reforca-pauta-unica-de-propostas-do-setor-produtivo/27127

Veja também

Coworking inspirado no porto de Salvador recebe tratamento acústico decorativo da Trisoft Projeto assinado por arquiteta e designer de interiores traz reflexões sobre o transporte de culturas e historicidade que transitam a Baía de Todos os Santos Fonte: Trisoft A Trisoft, maior empresa da América Latina em produção de itens derivados de fibras de garrafas PET, firmou parceria com a arquiteta e design de interiores Thais Vaz, que desenvolveu um coworking inspirado na cultura baiana. Com os elementos acústicos fornecidos pela Trisoft, a profissional combinou uma junção de estruturas metálicas e o concreto, aliados ao uso de cores que remetem aos contêineres, conferindo-lhe padrões para um mobiliário que propõe romper a formalidade dos ambientes de trabalho. Intitulado pela arquiteta como “Doca 31”, o espaço transfere sofisticação e modernidade, por meio de um ambiente que contempla aconchego e acolhimento, estimulando a interação com o espaço através de condições sensoriais que geram relações, conforto e criatividade. Os produtos Trisoft presentes neste ambiente são as Nuvens Decor, Baffles Decor e Revest Frame Decor – confira detalhes abaixo. Nuvem Decor Trisoft As nuvens acústicas são painéis acústicos que aliam alta performance, beleza e leveza aos ambientes. São elementos suspensos que absorvem duas vezes mais os ruídos, podem ser aplicados em quaisquer tipos de ambientes, e contribuem com a estética dos espaços aéreos dos projetos de arquitetura. Os produtos oferecem segurança, são 100% recicláveis, fabricados com lã de PET, não mofam com a umidade, atuam como isolante acústico, fáceis de transportar e instalar, resistentes ao fogo e autoextinguível (Classificação II-A IT 10 do Corpo de Bombeiros), e podem ser aplicados em quaisquer tipos de ambientes internos. BafflesDecor Trisoft Aliam beleza, funcionalidade e versatilidade em projetos de design de interior. São elementos suspensos que absorvem duas vezes mais os ruídos. Produzidos em lã de PET, são indicados para ambientes que necessitam de tratamento acústico como restaurantes, praças de alimentação, shopping centers, salas de aula, salas comerciais, saguões de hotel, salões de aeroportos, etc. Devem ser aplicados abaixo do forro, verticalmente, através de cabos reguláveis respeitando as indicações do projeto acústico, em ambientes internos. Os produtos oferecem segurança, são 100% recicláveis, fabricados com lã de PET, não mofam com a umidade, atuam como isolante acústico, fáceis de transportar e instalar, resistentes ao fogo e autoextinguível (Classificação II-A IT 10 do Corpo de Bombeiros). Revest Frame Decor Indicado para revestimentos de paredes melhoram a inteligibilidade do som, reduzindo a reverberação no ambiente. A junta seca dos painéis proporciona ótimo acabamento estético, ideal para quem busca flexibilidade de projeto e personalização de ambientes. Além da absorção sonora o Revest Frame também contribui como elemento decorativo, em diversas cores, com opções lisas e estampadas. São resistentes ao fogo e autoextinguível (Classificação II-A IT 10 do Corpo de Bombeiros), e podem ser aplicados em quaisquer tipos de ambientes internos. SAC Trisoft:+55 (11) 4143-7900| www.trisoft.com.br

06/11/2018

Comentários